Os Muros

O presidente dos EUA está cumprindo a promessa de campanha de construir um muro de 3,2 mil quilômetros na divisa com o México. Ela acabou de assinar o decreto para esse fim e quer que o México entre com a metade da conta que será gasta, nem que seja taxando em 20% os produtos importados do País vizinho. Essa decisão já criou um impasse político importante. O presidente do México Enrique Peña Nieto decidiu não ir ao encontro bilateral marcado para a semana que vem em Washington.

Os muros costumam separar e aí sua construção não traz coisa boa. Isto acontece quando o interesse pessoal suplanta os propósitos coletivos e leva a pessoa a um isolamento desastroso. A engenharia humana é criativa na construção desses muros que separam, desde aquele dia em os primeiros humanos se rebelaram contra Deus.  Muros isolam vizinhos, separam casais, abandonam filhos, destroem famílias, afastam pessoas da igreja. Todos eles precisam ser destruídos! Ainda bem que o muro que o pecado construiu entre a criatura e o Criador foi derrubado pelo próprio Filho de Deus: “Pois foi Cristo quem nos trouxe a paz… Ele derrubou o muro de inimizade… Por meio da cruz, ele os uniu (judeus e não judeus) em um só corpo e os levou de volta para Deus” (Efésios 2.14,16).

Os muros também protegem e aí sua construção pode ser coisa boa. Talvez muitos dos eleitores de Trump tenham entendido que o muro que ele quer construir os proteja de imigrantes ilegais que invadem suas cidades e trazem confusão. Então o muro pode servir de proteção, como fazemos com as grades, as câmeras fotográficas, as senhas dos celulares e contas bancárias.  Precisamos desses muros que protegem nossas vidas nesse tempo de violência desmedida. Mas precisamos mais dos muros da Palavra divina que fortalece nossa fé para resistir às tentações e nos mantém em comunhão com o Pai celeste.

Muros que separam precisam ser destruídos! Muros que protegem devem ser reconstruídos.  Podemos analisar bem os muros ao nosso redor e fazer a nossa parte, como o povo fez no tempo de Neemias (Ne 2.18).

Edgar Lemke

Share and Enjoy !

0Shares
0 0