“Um só rebanho, um só Pastor”

Há uma canção, na minha visão, bastante bonita e que leva o mesmo título dessa reflexão. Muito mais do que uma melodia agradável, essa canção também revela uma importante tensão na vida cristã. Não bastassem as diferentes religiões que oferecem ao mundo perspectivas muitas vezes antagônicas ao próprio cristianismo, muitos são os exemplos dentro do meio cristão que revelam a falta de unidade entre os que confessam sua fé no mesmo Salvador.

Mesmo que as diferentes denominações ditas cristãs manifestem publicamente a sua fé no mesmo Salvador, não demora para percebermos as dissonâncias em termos doutrinários. Considerando aqui que a doutrina não é uma invenção dos homens ou da igreja, mas ressoa os ensinamentos do próprio Salvador (cf. Mateus 28.19,20), não raro algumas doutrinas-chave para os cristãos são relativizadas ou mesmo ignoradas em nome de um ecumenismo forçado ou de uma comunhão superficial.

Deixando essa discussão para um outro momento, proponho refletirmos individualmente sobre dois pontos, a começar pela nossa condição enquanto ovelhas. Aí sim há uma diversidade de características. Diferente de uma noção que pinta a ovelha normalmente como um ser ingênuo e de plena ternura, é oportuno notar que algumas ovelhas costumam andar dispersas, sob risco de ataque inimigo ou, então, precisam ser carregadas no colo para receber os devidos cuidados.

O outro ponto é que, embora o rebanho seja constituído de muitas ovelhas e bastante distintas entre si, todas elas constituem um só rebanho e têm uma necessidade maior em comum: são completamente dependentes do seu Bom Pastor. Seja qual for a necessidade mais urgente de cada uma das ovelhas, todas elas carecem e precisam ouvir a voz do Bom Pastor Jesus (João 10.4). Apenas Jesus conhece verdadeiramente a cada uma de suas ovelhas e suas mais íntimas necessidades, e ainda assim as ama ao ponto de dar sua vida em resgate por todas elas.

Enquanto preocupa-se também com a salvação, ressurreição e a vida eterna de todos nós, o Bom Pastor Jesus almeja que tenhamos uma vida digna e honrada aqui neste mundo. Todos os seus ensinamentos e aquilo que podemos definir enquanto doutrinas cristãs têm por propósito oferecer uma liberdade de vida cercada de cuidados, como uma cerca protege as ovelhas no curral. Nesse sentido, somos corresponsáveis enquanto irmãos na fé, frágeis ovelhas que caminham juntas.

Guardadas todas as diferenças que nos confundem e atrapalham, os tempos que vivemos nos provocam a reconhecer a nossa miséria, dependência e necessidade, as quais apenas o Bom Pastor Jesus é capaz de sanar, nos tomando sob seus cuidados, guiando e orientando nossa vida desde agora e para sempre. Quando temos mais uma oportunidade de receber a Palavra de Deus em nossos cultos, que nos saibamos guiados e conduzidos pelo Espírito Santo, podendo confessar como faz a canção: “Um só rebanho, um só pastor, uma só fé em um só salvador. É Teu amor que nos une aqui e num só espírito adoramos a Ti”.

Fernando Behling