Amando de fato e de verdade

Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; portanto, também nós devemos dar a nossa vida pelos irmãos. Ora se alguém possui recursos e vê seu irmão passar necessidade, mas fecha o coração para essa pessoa, como permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de boca para fora, mas de fato e de verdade.” 1 João3.16- 18

Mais um final de semana comemorativo. Desta vez o amor romântico sendo celebrado com o Dia dos Namorados. Que bom em tempos de egoísmo e violência doméstica, celebrarmos o amor entre homem e mulher. Pelo menos por dois motivos: 1) manter acesa a tocha do amor entre os casais; e, 2) ser um amor de fato e de verdade. Com palavras e ações de amor mútuo. Para que o amor de palavras e ações amorosas em forma de diálogo, respeito, verdade, sejam a marca desse Dia dos Namorados.

Mas, se este amor é motivo de celebração, outro tipo foi vivido em nossa Comunidade na semana passada e merece ser celebrado. Seu resultado está sendo compartilhado e ainda se prolongará por alguns dias. Falo do amor de fato e de verdade materializado nas mais de 200 cestas básicas deixadas na Igreja ou na forma de doações em dinheiro, para que a equipe de Ação Social as adquirisse. Cada cesta representando uma família da comunidade, costumeiramente presente no culto. Que por ora, devido a Covid, tem dificuldade de participar presencialmente dos cultos. Dificuldade de participar, mas não de amar de fato e de verdade, em palavras e ações. E isso ficou evidente. Que força tem a comunidade para amar de fato!? Incrível!Essas ações só podem brotar de um amor imensurável: o amor de Deus. Demonstrado a nós quando Cristo amorosamente afirmou nos amar e deu a sua vida por nós lá na cruz, e nos desafiou a amar ao próximo como ele mesmo o fez. Jesus amou o próximo, e a cada um de nós.

É isso que João registra numa das suas cartas a respeito do amor divino. E nos desafia a amarmos de fato e de verdade, em palavras e ações. Depois nos afiançar do amor de Deus, que corrige, dialoga, ama e perdoa, João nos desafia a fazermos o mesmo.

Por isso, resgato essa bela ação que encheu nossa Igreja de amor a Deus e ao próximo. Amor que está amenizando a vida de mais de duzentas famílias. Que multiplicadas por três integrantes, contabiliza seiscentas pessoas alcançadas. Amor em forma de alimento para o corpo e orientação para a alma para os atendidos. Celebrar o amor é bom. Em especial o amor de Deus alcançado a nós de fato e de verdade. Mas viver o amor é melhor. Vivamos o amor em palavras e ações. Tanto como casais enamorados, quanto como filhos de Deus amados de fato e de verdade pelo Pai Celeste.

Abençoada semana.

Pr. José Daniel Steimetz