O Pai Amoroso

Por ser a semana do dia dos pais, me solicitaram que encontrasse alguns versículos bíblicos que falassem sobre a paternidade. Notei uma coisa: a Bíblia é cheia destes versículos. Porém, em sua maioria, o foco principal destes é a disciplina, respeito e educação que um pai deve ensinar e demonstrar para seus filhos. Ou, então, a honra que os filhos devem aos seus pais.

Refletindo sobre isso, me veio uma lembrança do tempo em que eu era pequeno… Eu ficava muito feliz em sair para passear com meus pais. Ainda mais se fosse aquele passeio em que havia uma grande expectativa… o problema era quando, chegando no lugar, eu começava a fazer “arte”. E, normalmente, antes de chegar num estágio crítico de minhas proezas, recebia diversos avisos: “Para com isso!”; “Vais te machucar ou machucar o amiguinho!” Era dito e feito! Daí, para não fazer fiasco em frente das pessoas, o pai (ou mãe), dizia algo capaz de “congelar a espinha” de qualquer filho: “Em casa a gente conversa” ou, na sua pior versão: “Espera chegar em casa”.

Bom, quando meus pais me diziam isso, mesmo que eu estivesse no lugar mais divertido do mundo, eu não ia conseguir aproveitar mais nada. Eu poderia estar na “Disneylândia”, que ia baixar a cabeça e ficar me arrastando o resto do dia, louco de medo da punição que viria na hora que chegássemos em casa. Minha única esperança era que eles esquecessem que eu havia aprontado (mas ô gente para ter memória boa, esses pais). Daí, então, eu ficava só aguardando a hora do meu juízo final.

De certa maneira, nós podemos perceber que Deus agiu assim várias vezes com o a humanidade… ele não cansou de avisar e até ameaçar seus filhos por conta de toda a sua maldade. Esse “espera chegar em casa” foi dito em diversas situações…

Acontece que, no momento em que Deus decidiu que era hora de punir seus filhos desobedientes e dar aquela que seria a maior surra que já se ouviu falar… quando Deus decidiu que era hora de toda a humanidade pagar pelos seus erros, ele acabou cobrando tudo de um Filho só: Jesus. E este, como um irmão mais velho que defende o caçula, Ele nos protegeu da ira do nosso Pai e suportou tudo sozinho.

E agora que Deus “descontou” toda a sua ira em Jesus, ao invés de ficarmos sofrendo nessa vida, sentindo medo da hora que teremos que ficar diante do nosso Pai celeste e temendo, também, chegar em nossa casa, que é o céu, nós podemos aproveitar nossa estadia aqui na terra tranquilamente, sabendo que, apesar de todos os problemas que enfrentamos, quando chegarmos na nossa casa celestial, teremos um Pai amoroso, que ao invés de nos dar palmadas ou colocar de castigo, Ele irá nos abraçar e nos amar eternamente.


Jordan W. Gowert Madia