Ciência e fé

O famoso cientista britânico Richard Dawkings, defensor ferrenho do ateísmo, tem razão em algumas críticas que faz às religiões, especialmente ao cristianismo. Na sua palestra em Porto Alegre na última segunda-feira alguém lhe perguntou sobre o paralelo entre religião e ideologias responsáveis por milhões de mortes no século vinte. “Não quero nem imaginar o que teria acontecido se os cruzados tivessem armas nucleares”, respondeu Dawkings, arrancando acalorados aplausos da plateia. Mas, já apareceu muito cientista louco por aí que fez grandes estragos. Vamos eliminar a ciência por causa disso? O grande objetivo de Dawkings é acabar com a religião. No livro Deus – um Delírio, a bíblia do novo ateísmo, ele sustenta que a religião não merece respeito e que a educação religiosa de crianças é abuso infantil. “Se este livro funcionar do modo como espero, os leitores religiosos que o abrirem serão ateus quando o terminarem”, cutuca o cientista.

Fico imaginando este cara junto com o Luciano Huck e a Angélica naquele momento em que o avião deles fez um pouso forçado no Domingo passado. Luciano disse que foi milagre de Deus eles terem sobrevivido. Pois é nesta hora que a ciência não tem respostas. Para Dawkings, no entanto, “Religião e ciência são inimigas uma da outra. O critério para decidir se algo está certo ou não é científico”. Será mesmo? O problema desse cientista é o que ele mesmo condena: o radicalismo, a intolerância.

Jesus afirmou que “o mundo não pode receber o Espírito Santo porque não o pode ver nem conhecer” (João 14.17). Mundo aqui é ciência, razão, fatos visíveis. Paulo lembra que “Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles. Pelo contrário, resolveu salvar aqueles que creem e fez isso por meio da mensagem que anunciamos, a qual é chamada de louca” (1 Coríntios 1.21). Pelo visto, Deus – um Delírio e companhia é puro plágio da antiga filosofia grega.

Marcos Schmidt
[email protected]
Pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Novo Hamburgo, 30 de maio de 2015

Share and Enjoy !

0Shares
0 0