Lutero e as crianças

Em outubro celebramos o Dia das Crianças e o Aniversário da Reforma. Aproveitamos essas datas para refletirmos sobre os desafios de educarmos as crianças numa sociedade em transformação tão intensa que elas já nascem teclando.

Se por um lado não precisamos ensiná-las a usar os modernos equipamentos de comunicação, por outro talvez mais que em outros tempos precisamos ensinar-lhes o respeito, os limites, o amor, Deus.

Neste contexto mexeu comigo um dos comentários de Lutero que consta na Bíblia Sagrada com reflexões de Lutero que está sendo lançada pela Sociedade Bíblica do Brasil, nesse 31 de outubro, às 20 h,  na Celebração conjunta (IELB e IECLB) da Reforma  que acontecerá Igreja da Reconciliação na Senhor dos Passos – Centro.  Num comentário sobre o texto de Marcos 10.16 que descreve a atitude de Jesus ao tomar as crianças no colo e as abençoar, Lutero comenta:

Por que, então deveria eu procurar a Cristo lá longe, ou até mesmo subir aos céus na ânsia de encontrá-lo? Tenho diante de mim tantas crianças cristãs que são imagem e morada de meu amado Senhor Jesus Cristo.Vendo-as, estarei vendo o próprio Cristo. Se ouço o que dizem, estarei dando ouvidos a Cristo.  Se lhes ofereço um copo d’água, estarei dando de beber a Cristo.  Se lhes dou de comer, estarei alimentando a Cristo.  Se lhes dou o que vestir, estarei vestindo a Cristo.  E assim, na Igreja Cristã, terei o mundo cheio de Cristo.  Toda vez que olho e vejo crianças cristãs, vejo a Cristo. Se eu pudesse crer nisso!

Noutro contexto Lutero nos desafia a não nos esquecermos de trazer as crianças a Jesus para ele tomá-las o colo e as abençoar: Por isso, sob pena de perder a graça divina, cada um deve saber que tem a responsabilidade de educar seus filhos, em primeiro lugar, para o temor e conhecimento de Deus, e quando tiverem aptidão, que os mandemos estudar para que venham a ser úteis onde necessário.

Edgar Lemke