Cultuar e Ofertar

E não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor, depois a nós pela vontade de Deus; 2 Coríntios 8.5

Eis dois temas interligados e inseparáveis. E tudo na igreja os envolve e neles são envolvidos. Não há culto sem oferta nem oferta sem culto. Sem oferta o culto se esvazia e tende a ser regido pela lei, por cumprimento de deveres, por obrigação… oferta sem culto é mera desobrigação, mero ritual, é vazia de sentido e não alcança um fim proveitoso diante de Deus..

Culto sem oferta se esvazia? Sim, porque a ênfase do culto é oferta. Não a nossa, mas a oferta de Deus por nós na forma de Palavra, perdão, vida, fé, salvação, céu e eternidade. Essa oferta de Deus é graça. Assim somos lembrados no culto de como Deus ofertou seu Filho para nos dar nova vida. E como Ele nos faz novas criaturas motivadas a agir com gratidão, a compartilhar a graça Deus e até a ofertar com generosidade a exemplo dos macedônios, de quem Paulo fala aos Coríntios.

Portanto é engano pensar em oferta no culto como a nossa oferta. Pois um culto onde Deus em Cristo e sua oferta por nós, não está presente, é vazio. Neste “culto” entra-se sem nada e se sai vazio. Ou, o que é pior, com muitas obrigações a cumprir, pois não se encontrou nele a oferta de Deus que nos reconcilia com ele. E não há oferta humana que cubra a oferta de Deus pelo pecado. Pelo teu e meu pecado.

Oferta sem culto se esvazia? Quando se oferta, mesmo que muito, por “cumprimento de tabela”, por vergonha ou coisa parecida, sim. Porque esta oferta não envolve gratidão pela oferta de Deus. E mesmo trazendo um fim aparentemente proveitoso por alguém vir a ser beneficiado com esta oferta, é vazia, porque não é parte do culto de gratidão a Deus.

Na estatística da nossa Igreja viu-se que na região sul onde se encontra a maior parte dos luteranos do Brasil, concentra-se também a menor participação nos cultos. Também o menor índice de crescimento. Culpe-se quem quiser, mas uma coisa está à vista: menor participação nos cultos, menos conhecimento da oferta de Deus por nós, menos testemunho, menos “ofertar-se a si mesmos ao Senhor”, como recomenda Paulo, neste texto clássico sobre ofertas.

Como temos aproveitado a oferta recebida no culto? E como temos ofertado? Que Deus em Cristo, sua oferta presente na Palavra e sacramentos, motive-nos no culto a nos engajarmos no testemunho e oferta. Oferta de gratidão pelo fato de Deus ofertar-se amorosamente a nós. Assim, o nosso culto e oferta serão plenos de sentido e significado. Isso não tem preço. Só gratidão.

Boa semana a todos. Bom culto e bom ofertar-se primeiro ao Senhor.

Pr José Daniel Steimetz

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Deixe um comentário