O Cristão e a Rio+20

No Princípio criou Deus os céus e a terra… E… viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Gênesis, Gn, 1.1,31

Acontece nesses dias a Rio+20. Esse importante encontro visa discutir as questões de sustentabilidade do planeta. Esta discussão se faz necessária frente aos problemas climáticos, energéticos, de produção e de exclusão social que a humanidade produz de uma ou de outra forma.

E o que ela tem a ver com os cristãos????? Muito simples: Tudo e muito mais. Ou melhor, talvez antes de tudo, nós cristãos estamos ou deveríamos estar preocupados e engajados no bom uso dos nossos recursos naturais dados a Deus para nossa utilização responsável.

Se lembrarmos bem o texto da criação em Gênesis ainda antes da queda, veremos que Deus colocou a sua criação sob nosso cuidado, haja vista sermos a coroa da sua criação(Gn 1.28ss). E diante da sua criação e decisão de nos tornar coadjuvantes no seu cuidado, concluiu: viu Deus que tudo era muito bom(Gn1.10,12,18, 21, 25, 31).

Também sabemos que a história continua. Veio o pecado (Gn 3) e corrompeu essa harmonia entre Deus e sua criação; Entre o Criador e nós, criaturas. Nos rebelamos contra o Autor da criação e tornamos a criação divina no caos que hoje sofremos. Nesse caos, esvaem-se as reservas de energia, a água torna-se objeto de luxo, a produção de alimentos que bate recorde, deixa muitos morrendo de fome; sem contar a violência individual e de nação contra nação que gera conflitos, sofrimento e morte. Por isso, concluí Paulo: a natureza(a criação) toda geme aguardando o dia da redenção(Romanos 8.22-25).

Mas, enquanto isso, como ficamos? Apenas observando as discussões da Rio+20? Não! Mas começamos confessando que Cremos em Deus Pai Todo Poderoso criador dos céus e da terra. Confessamos que ela não nos pertence, mas é dada por Deus, para dela cuidarmos. Ou seja, como explica Lutero, confessamos que “Deus criou a mim e a todas as criaturas, e me deu corpo e alma, olhos, ouvidos e todos os membros, razão e todos os sentidos, e ainda os conserva...” Ainda “me dá todo o necessário para o corpo e a vida“. “Protege-me…guarda de todo o mal. E tudo isso faz unicamente por sua paterna e divina bondade e misericórdia, sem nenhum mérito ou dignidade de minha parte. Por tudo isso devo dar-lhe graças e louvor, servi-lo e obedecer-lhe“. (1 Artigo do Credo Apostólico e extrato da explicação de Lutero).

E após confessar com palavras, é útil seguir a recomendação de Lutero que se refere a servir ao Deus criador de todas as coisas. Como? Discutindo a dura realidade de degradação que afeta o mundo criado por Deus, como faz a Rio+20. Mas também, acima de tudo servindo a Deus, trabalhando em prol da conservação da criação que Deus colocou em nossas mãos, para dela usufruirmos. Esse é o compromisso cristão com um mundo melhor.

Seria isso uma utopia? Pode ser. Mas Lutero teria dito: “Se soubesse que o mundo terminasse amanhã, mesmo assim, hoje eu plantaria uma árvore“. Ou seja, mesmo sabendo pela Escritura que Deus nos reserva algo melhor no amanhã, na eternidade, o aqui e agora é nossa responsabilidade de filhos de Deus, cidadãos e responsáveis pela preservação do mundo que Deus nos Deus.

Que Deus nos ajude nessa tarefa.

Pr. José Daniel Steimetz

Deixe um comentário