Eu ou o Outro?

Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. João 14.25,26

Estamos celebrando a Festa de Pentecostes. Data em que os cristãos lembram, por assim dizer, o aniversário da Igreja. Encontramos o relato deste evento em Atos 2. E vale a pena conferir. Já o texto acima é dirigido por Jesus aos aflitos com o objetivo de tranquilizá-los. Afinal, sua partida era iminente. Aproximava-se a sua morte, ressurreição e ascensão. Nela Jesus promete enviar o Consolador. Eles não ficariam “órfãos”, mas teriam sua presença constante através do Espírito Santo. E isto faria diferença em suas vidas. O Espírito Santo os faria lembrar tudo quanto lhes tinha ensinado. Em especial de que eram cristãos, e que assim viveriam, mesmo sob as adversidades decorrentes da fé. E que como cristãos deveriam viver esta fé.

Dizem ter acontecido certa vez, que um irmão contratou outro irmão na fé para trabalhar consigo. Mas ele julgou ter percebido uma falha no seu irmão empregado. Então, humilhou-o, duvidou dele. Passados algum tempo, percebeu seu erro. Desculpou-se com o irmão inocente dizendo “por um momento esqueci que tu eras cristão”.

Cena bonita na vida entre irmãos. O arrependimento faz parte da vida do cristão. Pedir perdão pelos erros cometidos é correto e necessário. Conceder o perdão também. Mas quero chamar a atenção para um pequeno detalhe, que por vezes esquecemos: a justificativa do contratante. Cada cristão pode lembrar primeiramente que ele é o cristão. É ele que faz a diferença.

O Espírito Santo veio para nos lembrar tudo o que Jesus nos ensinou. Também de que somos cristãos. A partir desta realidade deveríamos tratar os outros. Em todos os momentos o nosso ser cristão deve prevalecer sobre a conduta ou fé daqueles com os quais nos relacionamos. Possamos, guiados pela Palavra e Sacramentos,  viver de modo adequado. Exercitando o nosso ser cristão. Afinal esperar do outro tal conduta é nos esquecer do que somos. Que o Espírito Santo nos guie e nos lembre desse privilégio. E nos guarde em fidelidade para a vida eterna, como o fez com os discípulos.

Abençoada semana.

Pr José Daniel Steimetz

Deixe um comentário