Educação, o que eu tenho a vier com isto?

Nesta sexta-feira(19/08) os professores estaduais do Rio Grande do Sul realizaram mais uma paralisação. Eles reivindicam o cumprimento de Lei Federal que lhes garante melhores salários e plano de carreira. É justo? De quem é a culpa? Quem, senão as crianças e todo o processo educacional serão os prejudicados, caso ocorra uma greve, que é uma possibilidade?

                Como pai de aluno de escola pública e presidente do Circulo de Pais e Mestres dessa escola, uma das melhores, com equipe comprometida e em constante busca de capacitação, mesmo assim, fico apreensivo. E você, tem algo a ver com isso?

                Alguns dirão que não. Afinal, seus filhos estudaram ou estudam em escolas particulares; outros dirão que o governo está se esforçando, mas que não há condições; a oposição dirá simplesmente que é responsabilidade do governo atual. E lembrarão as palavras do atual governador e seu partido de que o que falta realmente é a famosa “vontade política”.

                Seja lá qual for a sua resposta, só não vale a de eximir-se afirmando que este “não é um problema seu”. Por quê? Porque educação envolve toda a sociedade. Boa educação é  sinônimo  de uma sociedade melhor. Mais desenvolvida, melhor qualidade de vida, melhor distribuição de renda, mais saúde, moradia, emprego… E também, por incrível que pareça, de políticos melhores. Melhores não somente em termos de conhecimento, mas acima de tudo, melhores eticamente. Porque o que temos visto é, como diria um jornalista conhecido, “uma vergonha”.

                Para tanto precisamos investir em educação. E investir de verdade. Isto inclui salários e formação melhor para os professores. Também equipamentos e recursos em todas as escolas. Como cristãos e luteranos temos uma contribuição a dar na educação. Lutero escreve aos governantes de sua época: “Para cada florim(o Real da época) investido na guerra, cem deveriam ser investidos na educação.”  Tal atitude formaria uma sociedade melhor.

Apenas para fins de comparação, resgato pesquisa desta semana, feita com moradores transferidos da antiga Vila Dique. Ela mostra que com saneamento básico e casas melhores eles têm melhor qualidade de vida e usam menos serviços médicos. Ou seja, para cada Real investido em saneamento está se economizando 4 Reais em saúde. O mesmo vale em termos de educação. O quanto investimos em educação em comparação ao custo de cada preso, a grande maioria, sem educação formal, sem família, sem religião?

                Lutero ligava educação com a possibilidade de melhores conhecimentos bíblicos e a formação de melhores cidadãos. Passados 500 anos desde o Movimento da Reforma, a situação não é diferente.  Todos nós precisamos de educação com E maiúsculo. E é tarefa de todos o cuidado com educação de qualidade, o que significa também, salários conforme a lei aos professores. Afinal, “digno é o trabalhador do seu salário” (Lc 10.7).

                                                                                                           Pr José Daniel Steimetz

Deixe um comentário