Pedrinhas

Como um dos textos para esse domingo é de Isaías 49, lembrei-me de uma devoção que li há algum tempo atrás. Achei muito legal a ilustração que nos mostra exatamente o que é viver sob a cruz ou ser polido por Deus.

Diz a devoção que em uma praia de pedras, de seixos, (como esses na figura ao lado) as ondas batiam fortemente sobre as pedrinhas. O mar rugia constantemente e essas pedrinhas eram arrastadas sem dó nem piedade pelas ondas. Elas eram jogadas de um lado para outro, roladas, atiradas umas contra as outras e contra as pedras maiores. Isso durava dia e noite, mas havia uma pausa. E qual era o resultado?

Turistas do mundo inteiro visitavam esta praia, não por sua beleza, mas justamente por causa dessas pedrinhas que eram lindas e arredondadas. Eles as levavam para casa, davam de presente e até as usavam com enfeite sobre suas escrivaninhas.

Mas ande um pouco mais. Vá alguns metros além daquela praia e contorne o recife que serve de proteção contra a força do mar. Ali, naquele silêncio, naquela água quietinha e protegida das ondas e do vento, você encontrará uma imensidão pedrinhas que nunca foram procuradas pelos visitantes.

Por que ninguém se interessa por essas pedrinhas? Simplesmente porque elas escaparam da fúria do mar e do atrito das ondas. A calma e a quietude daquele lugar as deixaram ásperas, pontudas e sem beleza. O polimento vem pela tribulação.

Em Isaias 49 lemos: O SENHOR me chamou desde o meu nascimento. .. na sombra da sua mão me escondeu; fez-me como uma flecha polida, e me guardou na sua aljava, e me disse: Tu és o meu servo, és Israel, por quem hei de ser glorificado.

Deus nos ama e está nos polindo diariamente. Somos jóias preciosas das suas mãos. Por isso damos graças e glorificamos ao nosso Pai Eterno pela cruz e o sofrimento e a feliz ressurreição, pelo amor que é sem medida, pela paz no coração, pela lágrima vertida e o consolo que é sem par, pelo dom da eterna vida. Sempre graças hei de dar.

Otto Neitzel

Deixe um comentário