A Igreja Comunica a VIDA

Nessa quinta-feira a NASA tomou conta do noticiário internacional ao anunciar a descoberta de uma bactéria (GFAJ-1) que pode revolucionar os conceitos sobre a vida, por tratar-se de um organismo diferente de todos os outros já estudados. Os estudiosos dizem que todos os seres vivos conhecidos até hoje tem a mesma estrutura de DNA e estão baseados em seis elementos fundamentais (hidrogênio, oxigênio, carbono, enxofre, nitrogênio, fósforo), mas essa bactéria descoberta no Lago Mono, Califórnia, substitui o fósforo pelo arsênio.

Dizem que além de mudar a compreensão sobre a vida na Terra, a descoberta também expande o horizonte para a busca de vida extraterrestre. Alguns cientistas (talvez mais apressados) deixam transparecer a idéia de que a descoberta dessa bactéria estabeleça a prova contundente para a teoria da evolução, abrindo a possibilidade de que alguns organismos vivos tenham vindo de um ancestral diferente. Em todos os casos, essa descoberta torna ainda mais complexa para os cientistas a definição da vida e sua origem.

Numa hora dessas é bom Deus perguntar aos cientistas (e a todos nós) aquilo que perguntou a Jó quando questionava os caminhos de sua vida: “Onde estavas tu, quando eu fundava a terra?” (Jó 38.4). Para nós a origem da vida está em Deus e é questão de fé. Hebreus 11.3 esclarece isto: “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Por isso confessamos: “Creio que Deus me criou a mim e a todas as criaturas…”

Também é questão de fé a História de Cristo que celebramos mais uma vez no Natal que se aproxima: “Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória” (1 Timóteo 3.16).  Esse mistério em Cristo nos envolveu e trouxe vida no seu sentido mais profundo. O Salvador garantiu: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10).

Que os cientistas se esforcem a pesquisar a origem da vida e tentar definir o seu significado. Para nós esta questão está no campo da fé. Nossa vida tem origem e sentido em Deus. Cristo é a nossa vida (Cl 3.4). Essa é a vida que a igreja comunica.

Edgar Lemke

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Deixe um comentário