Geração Z

Nesse fim de semana a Comunidade da Cruz está convocando os jovens e adultos para conversar sobre os jovens e o desafio de contar com a força dessa gente muito esperta e conhecedora de tudo o que acontece no mundo.

Particularmente me vejo desafiado a entender esse povo que parece ter nascido com o DNA do teclado do computador nos dedos. Imaginava-me bem conectado (veja só a expressão que achei) com o pensamento dos jovens e achava fácil trabalhar com eles. Mas estou mudando de idéia e não é só porque a diferença de idade se acentuou. Reconheço, estou com dificuldade para entender a cabeça da nova geração.

Não faz muito ouvi falar da geração X, aquela turma do bermudão e da camisa de flanela.  Aí identificaram a geração Y, os consumistas das novidades eletrônicas. Agora chegaram ao Z e acabou o alfabeto.

A Geração Z é essa turma que gosta de zapear (daí o Z). Essa juventude muda de um canal para outro na televisão, vai da internet para o telefone, do telefone para o vídeo e retorna novamente à internet e também troca de uma visão de mundo para outra com a mesma rapidez. Sua maneira de pensar foi influenciada desde o berço pelo mundo complexo e veloz da tecnologia e seu conceito de mundo não tem fronteiras geográficas.

Zero Hora de 10 de agosto deu algumas dicas para estabelecer o diálogo com essa geração.  Eis algumas: 1) jamais subestime os adolescentes; 2) Evite imitar suas gírias para não parecer ridículo; 3) Abuse de recursos audiovisuais; 4) Abra janelas para a conversa; 5) Lembre-se que eles aprendem tudo ao mesmo tempo; 6) Seja um mediador; 7) Use a internet a seu favor.

O velho apóstolo João não falava em X, Y ou Z. Mas falava em Alfa e Ômega (primeira e última letras do Alfabeto grego) – Jesus, o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14.6). Ele é Salvador também da Geração Z. Por isso registrou: “Escrevo a vocês, jovens, porque são fortes. A mensagem de Deus vive em vocês e vocês já venceram o Maligno” (1 Jo 2.14).

Que o nosso encontro possa render uma boa parceria. “Afinal, para que vivemos nós velhos senão para cuidar da juventude, ensinar e educá-la?” (Lutero).

Edgar Lemke

Deixe um comentário