Armamento

20 de setembro de 2019 by edgar-lemke

Após nove dias internado em São Paulo, o presidente Bolsonaro ganhou alta do hospital e retomou nessa semana o seu cargo na presidência da República. Para cumprir sua promessa de campanha sobre a posse de arma, ele sancionou o projeto de Lei da posse estendida na área rural, que permite ao proprietário ou arrendatário andar em toda área física da propriedade rural com sua arma para proteger sua família e sua propriedade.

Eu não sou simpático à Lei do Armamento porque geralmente quem morre em assaltos são pessoas que estão armadas e tentam reagir. Mas no caso dos moradores em propriedades rurais, eu vejo como uma necessidade, pois a polícia se concentra nas cidades e as pessoas do meio rural ficam desassistidas em matéria de segurança. Acho que essa visão sofreu a influência de meu pai, que tinha uma espingarda guardada ao lado do fogão à lenha ao alcance de qualquer criança. Mas nenhum de nós, eu e meus irmãos, botava a mão nela porque fomos ensinados que arma é algo perigoso e só os adultos devem usar.

Aproveito esse tema do armamento para levar o assunto ao âmbito espiritual onde se reflete sobre o significado e os valores da vida dados pelo Salvador Jesus. E aí precisamos nos armar até os dentes. O apóstolo Paulo orienta: “Por isso peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar. Portanto, estejam preparados. Usem a verdade como cinturão. Vistam-se com a couraça da justiça e calcem, como sapatos, a prontidão para anunciar a boa notícia de paz. E levem sempre a fé como escudo, para poderem se proteger de todos os dardos de fogo do Maligno. Recebam a salvação como capacete e a palavra de Deus como a espada que o Espírito Santo lhes dá. Façam tudo isso orando a Deus e pedindo a ajuda dele” (Efésios 6.13-18).

Edgar Lemke

Comments are closed.