Abraão e Nicodemos

Os textos para esse domingo contam parte da história desses dois homens que entraram na história em momentos muito diferentes. Um bem no começo da Bíblia, em Gênesis 12.1-9, e o outro conversa com Jesus em no Novo Testamento, em João 3.1-17. Fiquei me perguntando: O que Abraão e Nicodemos têm a ver um com o outro para estarem juntos nos textos do mesmo segundo domingo na Quaresma?

Para um Deus diz: Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para uma terra que eu lhe mostrarei. Os seus descendentes vão formar uma grande nação. Eu o abençoarei, o seu nome será famoso, e você será uma bênção para os outros. Enquanto para o outro Jesus responde: Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito.

A relação que eu ouso fazer nessa devoção entre esses dois homens tem a ver com a suas respectivas idades. Um já tinha 75 anos e era velho demais para ter filhos. Tanto é que sua esposa, Sara, ri quando lhe é dito que ela ainda teria um filho depois de velha. Nicodemos, da mesma forma, também era velho demais para nascer de novo e voltar para a barriga da sua mãe.

Mesmo assim, Deus chama Abraão e Nicodemos. Mesmo assim, Deus nos chama nos lugares mais improváveis e nos momentos mais inoportunos. E como cada um responde ao seu chamado tem consequências que vão muito além das expectativas e imaginação.

Abraão jamais imaginaria que o mundo pertenceria a ele e a seus descendentes, como diz a epistola desse domingo, Romanos 4.13. Nem muito menos imaginaria que eles se tornariam uma bênção para todo o mundo. Ele creu. Ele não viveu tanto tempo depois para poder ver as consequências, mas nós vivemos essa bênção hoje, tanto é que o Evangelho desse domingo resume tão bem “Porque Deus amou o mundo inteiro…”João 3.16.

Nicodemos também ficou balançado com a oferta de Jesus para entrar Reino de Deus. Não fica claro que Nicodemos respondeu a esse chamado imediatamente, mas em duas outras ocasiões o seu nome é citado. Uma vez arriscando sua reputação e status de Fariseu defendendo Jesus em João 7.45-51 e outra vez, logo depois da crucificação, cumprindo a profecia enquanto ajudava José de Arimateia na preparação do corpo de Cristo em João 19.39-42.

Assim como Abraão e Nicodemos, tem vezes que nós também não sabemos por que fomos chamados, para onde e para que fomos chamados e quais a consequências em responder a tal chamado. Mesmo com um futuro tão incerto à nossa frente e/ou com idade tão avançada. Tudo o que nos resta é responder com fé e ser fiel ao chamado, orando a Deus que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz. Deus usará essa resposta para o grande propósito da sua Igreja e para o bem de todos “Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. ” João 3.16

Otto Neitzel