O Rei-Mendigo

Um rei que quis fazer algo diferente no Natal. Ele saiu na véspera de Natal para visitar a vila dos seus camponeses e escolheu uma família com a qual ele passaria o Natal. Providenciou toda a comida e bebida para festa, muitos presentes, e disse que voltaria no dia seguinte. A família ficou numa baita expectativa.

Na noite seguinte, para poder passar pelos guardas reais sem ser reconhecido, ele se vestiu como um mendigo e foi à casa daquela família. O problema é que, quando chegou lá e ele bateu na porta, eles não o reconheceram e não o deixaram entrar.

A Palavra estava no mundo, e por meio dela Deus fez o mundo, mas o mundo não a conheceu. Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu. João 1.10,11

Tem vezes que somos como essa família. Ficamos numa baita expectativa aguardando um rei poderoso, que nos traga prosperidade, paz, que acabe com nosso sofrimento. E o que recebemos? Um bebezinho pobre, embrulhado em panos grosseiros, colocado numa manjedoura rodeado de animais e com cheiro de esterco.

O único presente natalino para os nossos corações está no grande mistério daquele Menino indefeso repousando na manjedoura: o rei-mendigo! Nesse mistério está o plano de Deus de nos resgatar do diabo, do pecado e da morte.

Os que depositam sua esperança naquele Deus-menino, Jesus Cristo, perdem a culpa e ganham a vida eterna. Nesse Natal, não vamos trocar esse presente! Vamos abrir nossas portas para o menino Jesus! Feliz Natal!

Otto Neitzel