Honrarás teu pai e tua mãe

Estamos às vésperas do Dia das Mães e certamente muitos filhos correm para comprar presentes, se dedicam a organizar almoços ou jantares com elas ou pensam em diferentes maneiras possíveis de homenageá-las. Mas há, também, outro grupo de filhos que nesse dia especial vai ficar um tanto melancólico: aqueles que já não têm mais a oportunidade de ter suas mamães por perto, que não podem lhes dizer o que sentem e quanto as amam.

O fato é que as mães também são instrumentos de Deus para cuidar de nós através da linda vocação que é a maternidade. Por isso, certamente elas merecem muito carinho, amor, afeição e presentes… mas acima de tudo, merecem honra. Lá em Êxodo, ao dar o Quarto Mandamento para seu povo observar, Deus quer comunicar algumas coisas muito importantes. Ele diz: “Honre o seu pai e a sua mãe, para que você tenha uma longa vida na terra que o Senhor, seu Deus, lhe dá ” (20.12).

Como o apóstolo Paulo bem salienta em Efésios 6.2, este é o primeiro mandamento com uma promessa atrelada a ele. Certamente esta promessa até poderia estar conectada ao fato de que, na maioria das vezes, nossas vidas seriam melhores se ouvíssemos os conselhos de nossos pais. Eles não são perfeitos, mas geralmente são mais sábios do que os filhos.

Este mandamento também tem outra peculiaridade: no contexto hebreu, a palavra “Pai” engloba toda e qualquer autoridade. Sejam governantes, líderes ou propriamente pais e mães. Ainda assim, mesmo que a “Mãe” já estivesse incluída neste termo, Deus faz questão de valorizá-la e dar-lhe um espaço muito especial neste mandamento, ordenando-nos honrá-la.

E o que significa honrar? Bem, o nosso querido reformador Martinho Lutero, em sua explicação a este Mandamento, afirmou que “honra” é mais sublime do que o amor. Para honrar alguém, inevitavelmente precisaremos considerar esta pessoa superior a nós. Não no sentido de poder ou força, mas naquilo que se refere ao merecimento de respeito e reverência.

Meus irmãos, mesmo que este seja um dia de gratidão e alegria por nossas mães biológicas ou de coração, não deixemos de orar por aqueles que agora convivem com a saudade. Lembremos, de maneira muito especial, daquelas mães que perderam seus filhos na tragédia em Santa Catarina ou tantas em outras que vêm ocorrendo… certamente elas estarão saudosas de um abraço apertado de seus filhos. Se vocês tiverem um tempinho incluam estas pessoas em suas orações.

E se existe um conselho que a maioria daqueles que perderam suas mães poderiam dar aos que ainda têm as suas por perto, é que neste dia tão especial, não deixem de dedicar a honra devida a sua mãe. Se houver picuinhas e brigas, deixem-nas de lado. Atirem para longe o orgulho e a timidez e não percam mais tempo em dizer do amor que vocês sentem por elas. Assim, mesmo que vivamos em tempos difíceis, desejo que todos vocês tenham um abençoado Dia das Mães.

Jordan Gowert Madia