A Maratona da Quarentena

Enquanto refletia sobre o atual momento que vivemos, concluí que esta quarentena e a situação como um todo podem ser comparadas à uma maratona. Ou melhor, as pessoas que estão envolvidas neste caos se assemelham aos possíveis competidores de uma. Posso me equivocar, mas penso que devem haver pelo menos 5 tipos competidores em tal corrida.

Primeiro, há o “acostumado”: aquele que corre todo dia e nem faz muita diferença estar em uma maratona ou não… assim, vemos aqueles que gostam de estar em casa e a quarentena não foi muito impactante. Em segundo, temos o “desavisado”: esse chegou na linha de largada sem ter ideia do que representam os 42.2Km de corrida… assim são aqueles que iniciaram a quarentena sem nem saber ao certo o que isto significaria na prática. Em terceiro, vemos o “despreparado”: este deu todo seu gás nos primeiros 5km e já nem aguenta mais as próprias pernas… muita gente fez isso na quarentena: acharam diversas atividades e afazeres, mas já estão sem “pique” para o resto do tempo. Em quarto, vem o “profissional”: aquele que vai devagar e sempre e sabe que 42 km não são moles. Por isso, na quarentena, deram um passo de cada vez, viveram um dia e depois o outro, sem pressa. E, por último, temos o corredor “eficiente”: que é aquele que vai se adaptando bem à corrida e ao terreno… são aquelas pessoas que em cada dia de quarentena, conseguiram se reinventar e viverem bem.

Não sei qual tipo de “quarentenista” vocês são. E, na verdade, nem importa muito. Há uma corrida muito mais importante que todos os cristãos estão correndo: a maratona para a Vida Eterna com Deus. O Apóstolo Paulo usa essa metáfora da corrida algumas vezes, mas destaco a seguinte: “Corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus” (Fp 3.14).

Assim, meus irmãos, embora a nossa corrida verdadeira não seja “física”, nós precisamos treinar e nos alimentar bem para corrê-la…. e isso nós devemos buscar na Palavra de Deus. Assim, mesmo nestes tempos difíceis, mantenha sua vida devocional em dia, leia a Bíblia e continue acompanhado os nossos cultos digitais.

E uma última coisa: a corrida para o Céu é a única corrida que não importa quem alcançará primeiro a linha de chegada… o importante, de fato, é não deixar ninguém para trás. Por isso, oremos uns pelos outros e cuidemos de todos nossos irmãos na fé.

Um abraço em Cristo.

Estagiário Jordan W. Gowert Madia.