Campanha de Carnaval

Nessa época de Carnaval, as campanhas de segurança no trânsito mais que triplicam. “Neste carnaval, faça como o trio elétrico: vá e volte feliz”; “Neste carnaval, não corra atrás desse trio: bebida, direção e morte”; “Volte de taxi para não acabar na avenida”; “No carnaval, só não vale brincar com a vida”…

Somadas a estas campanhas de trânsito ainda existem as campanhas de sexo seguro, xixi no lugar certo, cidade limpa, direito das crianças e adolescente, drogas, tráfico humano …

O mundo, o pecado e o velho homem também estão em campanha dizendo hoje, sexta-feira de carnaval, algo do tipo: “Vai, aproveita bastante neste carnaval, pode faz tudo o que quiser, afinal, sempre tem uma quarta-feira de cinzas que esconde tudo”. É uma pena, mas muitos ainda pensam assim.

O sábio rei já havia alertado os jovens: “Jovem, aproveite a sua mocidade e seja feliz enquanto é moço. Faça tudo o que quiser e siga os desejos do seu coração. Mas lembre de uma coisa: Deus o julgará por tudo o que você fizer”. (Eclesiastes 11.9)

A Quarta-Feira de Cinzas é um dia sagrado. É o início de uma jornada que termina na cruz. É uma jornada de dor, chicotadas e muito sofrimento. É o peso carregado por outro que jamais seríamos capazes de carregar. É o sangue, o choro, o abandono, o perdão de pecados. É graça e não graça barata.

O perdão que temos em Cristo veio com sua vitória sobre a morte. Se estas palavras criaram raízes em nossos corações, podemos de fato viver a campanha que Cristo apresentou àquela mulher adúltera: “Vá e não peques mais”. (João 8.11)

Otto Neitzel