“Metas para 2017”

Estamos virando o ano. Dois mil e dezessete vem ai. E num mundo marcado por metas a cumprir, quais são as nossas metas para o Ano que se aproxima? Quando nos perguntamos sobre isso, certamente vêm à mente uma série de itens que vão do emagrecer a galgar algum pódio no mundo profissional o significa dizer mais “dinheiro no bolso”, talvez sem “saúde para dar e vender”, claro. Mas é o risco. Precisamos decidir. Então como ficamos?

No último encontro de jovens da CEL da Paz Morro da Cruz refletindo sobre essas questões, a luz do Salmo 90, dentre as muitas reflexões levantadas, uma delas rendeu. Um dos jovens disse que teria como meta, talvez não apenas para 2017, “tomar cuidado com as decisões para que não viessem a prejudicá-lo para o resto da vida”. 

Conversamos sobre isso e vimos que muitos são os momentos decisivos na vida. E nem sempre há tempo para muita reflexão e análise, precisa-se decidir. E muitas vezes premidos ou influenciados por situações, ideias e talvez pessoas que não estão comprometidos com a felicidade de quem toma as decisões. Sim, para nos levar a situações adversas sempre haverá parceria. Claro que, no entanto, o ônus de uma decisão equivocada será de quem a tomou. Ai até os “amigos” não existirão mais. E essa pode trazer “consequências ruins para o resto da vida”. Em termos espirituais, para a vida eterna.

Então, voltemos ao Salmo 90 e façamos do Versículo 12 o versículo orientador das nossas decisões quanto a metas, sejam elas quais forem, se em 2017, ou enquanto lês essa reflexão ou ainda, em todo o restante da vida. Tenhamos em mente, sempre, em cada decisão, o pedido do Salmista a Deus a fim de que Ele “Ensine-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.”. Sábio para as decisões da vida aqui e para a eternidade. Que orientados por Deus tenhamos sempre a sabedoria da “palavra de Deus para a Salvação, pela fé em Jesus Cristo” 2 Timóteo 3.15. Guiados pela sabedoria que vem dos céus tomaremos melhores decisões para a vida aqui e na eternidade.

Abençoado 2017.

                                                         Pr José Daniel Steimetz