Comprometimento

Eita palavrinha bem usada essa, hein? “Comprometimento”! Já ouvi essa palavra em vários contextos e situações diferentes: na política, na escola, no trabalho, no condomínio, no relacionamento amoroso e, também, é lógico, na igreja. No fim das contas, os comprometidos sempre se queixam daqueles que estão apenas envolvidos.

Estamos chegando ao fim de mais um ano da igreja. Domingo agora é o último domingo do ano eclesiástico e no próximo domingo, dia 27 de novembro, embarcamos em mais um ano com o Primeiro Domingo no Advento. E aí? Qual foi seu comprometimento nesse ano que passou?

Geralmente, deixamos para fazer esta perguntinha só lá no dia 31 de dezembro, mas queria convidá-los a fazer um balanço desse último ano eclesiástico que começou lá em novembro do ano passado. Qual foi seu comprometimento como membro da igreja cristã?

Vocês devem estar se perguntando: “Comprometimento com o quê?” Ora, se no dia 31 de dezembro nos comprometemos a: ir à academia no mínimo duas vezes por semana, fazer dieta, dormir mais cedo, parar de fumar, caminhar diariamente, não ficar tanto tempo no Facebook…  Por que, também, não nos comprometer com as coisas da igreja? Ainda mais nesse mês que reservamos especialmente para dar graças a Deus por tudo que somos e temos? O mês da reconsagração.

Algumas dicas práticas para nos ajudar nessa tarefa:

  1. Quantos cultos você se compromete a participar nesse novo ano? Agende! Coloque no seu calendário. Se não consegue todos os domingos, se não consegue dois por mês, não tem problema, mas anote na agenda. Faça do culto e leitura da palavra um compromisso seu e de sua família.
  2. Com quanto a igreja pode contar de você esse ano? Quanto tempo que você vai dispor? Qual o valor que o seu coração promete ofertar nesse novo ano? Qual a sua promessa de oferta?

Vocês devem ter reparado que eu destaquei a palavra “compromisso” na dica 1 e “promessa” na dica 2. Pois bem, nosso Deus se comprometeu com o ser humano caído e cumpriu sua promessa de enviar o Messias que se comprometeu com seu corpo em nosso lugar.

Quando chegou o tempo certo, Deus enviou o seu próprio Filho, que veio como filho de mãe humana e viveu debaixo da lei para libertar os que estavam debaixo da lei, a fim de que nós pudéssemos nos tornar filhos de Deus. Gl 4.4,5

Prometendo hoje, falhando e tentando novamente amanhã, a nós só nos cabe o eterno comprometimento com Cristo e sua Palavra. Com o auxílio do Espírito Santo, a nossa fraqueza não nos comprometerá!

 Ei, Porco, vamos abrir um restaurante? – Pergunta a galinha.

Não sei não. Qual seria o nome? – Retruca o porco.

Que tal “Pernil com Ovos”? – Sugere a galinha.

Não, obrigado! Eu estaria comprometido, enquanto você estaria apenas envolvida. – Responde o porco.

 

Otto Neitzel