Pai nosso que estás nos céus. Mt 6.9

Estamos em mais um dia festivo, o dia dos Pais. Data em que celebramos um fato memorável na vida de muitos: o dia em que se tornaram pais. Não somente aquele em que pegamos nossos filhos nos braços, mas vai além e nos remete a concepção, quando efetivamente já somos pais. Pura bênção e milagre de Deus em nossa vida. Por outro lado existem também aqueles que por alguma razão não são pais. Mas nem por isso estão excluídos dessa data, pois todos somos filhos.

Questiona-se seguidamente se deveríamos ainda celebrar datas como essa, afinal, muitos já não tem os pais consigo. Ou o dia das mães, por não as terem junto de si. Ora, se a realidade humana é marcada por essas lembranças tristes devido a separações, abandonos e mesmo a morte, que será de nós se deixarmos essa realidade prevalecer sobre nós? Para que isso não aconteça creio que primeiro, precisamos sim, celebrar essa data, que por si só é importante, apesar dos fracassos humanos. Em segundo lugar podemos usá-la para lembrar que as mazelas humanas não precisam preponderar em nossa vida. Podemos usá-la para lembrar-nos que apesar de tudo, temos um Pai, um Pai do Céu, um Pai Nosso, amoroso, gracioso e presente até mesmo em nossas ausências.

Lutero destaca que com essas Palavras: Pai Nosso, “Deus quer atrair-nos carinhosamente a fim de crermos que ele é o nosso verdadeiro Pai do Céu, e nós os seus verdadeiros filhos, para que o busquemos com toda confiança, sem temor, como filhos amados ao querido pai”.

Então em meio às ausências e fragilidades que vivemos no âmbito dos nossos relacionamentos humanos, celebremos mais uma vez esse Dia dos Pais, na certeza de que enquanto pais e filhos terrenos, todos temos um amoroso Pai do céu. Um Pai Nosso, de todas as horas e de socorro sempre presente. Ele nos supre de todo o necessário para a vida, permite-nos pedir que o seu reino venha a nós; que tenhamos o pão de cada dia no mais amplo sentido do termo; que Ele perdoe nossos pecados e nos anime a fazer o mesmo, perdoando – isso faz uma grande diferença nas relações de pais e filhos; que Ele não nos deixe cair em tentações, tipo abandonar nossos filhos ou ignorar e desprezar nossos pais e superiores; que Ele nos livre de todo Mal. Sim esse é o nosso Pai Celeste detentor de todo reino, poder e glória, hoje e sempre, amém.

Feliz dia dos Pais e abençoada semana.

Pr José Daniel Steimetz

Share and Enjoy !

0Shares
0 0