Como Jesus age

“Então eu te confessei o meu pecado e não escondi a minha maldade. Resolvi confessar tudo diante a ti, e tu perdoaste todos os meus pecados” Salmo 32.5

                A comunidade gaúcha e brasileira está perplexa ao ver o crescimento da violência e degradação social a atingir. Não é de espantar, afinal governo e sociedade têm-se negado a ver as situações de exclusão que são criadas e que são fatores de geração da realidade atual. Fato que fica evidente na fala e ação de um Secretário de segurança, com a anuência do seu chefe, o governador – do contrário teria sido demitido – que vem a público dizer que não vai às vilas, porque não tem nenhuma relação com elas, apesar de ser o responsável pela segurança de milhares que ali vivem. E de também deles receber seu salário. Estranho, não?  Assim é o jeito da sociedade agir atualmente. Um por todos e todos por si próprios, egoística e descomprometidamente.  Todos os aspectos da vida estão sendo vividos sem considerar o jeito de Jesus agir. Nem poderia ser diferente. Afinal, nem todos são cristãos. Não coloquemos sobre eles o fardo que não lhes cabe. Mas como cristãos importa pensar sobre o tema, a fim de sermos Igreja e Comunidade com jeito de Jesus.

                Mas como é o jeito de Jesus? Para melhor compreender a resposta que a Bíblia dá quanto ao jeito de Jesus, é importante ver como é o jeito do ser humano, o meu e o teu jeito de agir. E a Quaresma é tempo oportuno para esta análise. Esse tempo iniciado na Quarta-feira de Cinzas destaca o tema do arrependimento. E não pode deixar de ser assim. Afinal, queiramos ou não, somos pecadores. Deus em sua palavra não deixa dúvidas quanto a essa realidade (Romanos 3.23). Assim sendo, é melhor não acreditar que somos tão bons no nosso jeito de agir quanto tentamos parecer.

Davi foi um homem de fé. Chegarmos a essa conclusão sem negar sua natureza pecaminosa. Ele traiu, adulterou, matou, foi pai omisso, e por fim, carregou sobre si o peso dos seus pecados.  Somos todos “Davis”, em menor ou maior escala. Também somos pecadores. E ninguém escapa dessa realidade. “Todos pecaram”, Romanos 6.23. Esse é o nosso jeito de agir, ou melhor, é o nosso jeito de agir SEM Deus. Isso explica a realidade atual.

Mas o mesmo Davi, ao confrontar a vontade de Deus para sua vida e o seu agir, arrependeu-se, confessou seus pecados e foi renovado. Não por um ato mágico de falar numa espécie de catarse. Mas pelo ato de confessar-se pecador diante de Deus, como fazemos a cada Confissão, no Culto ou em particular. Confessar os pecados é um ato de fé. Ao fazê-lo conhecemos o jeito de Deus agir. Davi nos apresenta o jeito de Deus agir. Ele diz: “confessei o meu pecado e tu perdoaste todos os meus pecados”.Sl 32.5. Isso muda realidades.

Assim Jesus age conosco. Perdoa todos os nossos pecados. Nenhum pecado sequer fica sem perdão. A Quaresma é um convite ao arrependimento e confissão. É um convite a voltarmos “à casa do pai”. E que maravilha! Sermos recebidos amorosamente. Sem questionamentos ou condicionalidades. Apenas acolhidos, perdoados, restaurados a condição de filhos. Filhos amados do Pai Celeste. Esse é o jeito de Deus agir. Não só na Quaresma. Mas para todo o sempre. Sejamos extensão do jeito de Jesus agir. Seu agir com perdão, vida e salvação transforma realidades. Amém.

Abençoada Quaresma.

Pr. José Daniel Steimetz