Igreja: lugar de todos.

“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras nos fomos sarados.” Is 53.5

Nesta Quarta-feira de Cinzas adentramos em mais uma Quaresma. Este tempo da Igreja que nos leva a andar com Jesus Cristo rumo à cruz do Calvário. Mesmo lutando contra a desvalorização desse período a Igreja continua a celebrar esse tempo litúrgico. E é importante que seja assim. Alguém precisa lutar contra a ideia excludente que faz pensar que igreja é lugar de santos por si só, ou então, aonde entram apenas aqueles que vão ao grande mercado religioso atual para adquirir por preço suas “bênçãos”. Sendo assim, aqueles desprovidos de pureza ou contribuições e votos não são bem-vindos. Isso faz muito mal a Igreja de Cristo, por vezes identificada com uma ou outra denominação ou pastor. Nesses espaços não há espaço para a celebração da Quaresma. Essa Igreja não é e nem pode ser de todos ou para todos.

A caminhada de Cristo até a cruz nos faz celebrar a Quaresma, tempo de quarenta dias antes da Páscoa, sem contar os domingos. E por causa do encontro de Cristo com a cruz a Igreja cristã é Igreja de todos e para todos. Cristo não faz acepção de pessoas. Deus, por meio do sacrifício de Cristo quer que todos se salvem. Deus veio para salvar você e todos os demais seres humanos derramando seu precioso e inocente sangue na cruz para nos purificar de todo o pecado. Pois a cruz que Cristo carregou e deixou-se pregar por amor a cada um de nós, não era sua. Era nossa. Era a tua. Era a minha. Ele nos aliviou desse fardo. E nos convida a fazer parte da Igreja não de vez em quando, quando tivermos votos ou posses a oferecer, ou quando nos julgarmos merecedores de lá estar. Hoje mesmo somos convidados a integrá-la pela fé em Jesus Cristo, aquele da cruz. Do Fim da Quaresma. Da Semana Santa. Do túmulo vazio. Ele nos acolhe na sua Igreja. A Igreja de todos pelos quais ele deu a sua vida. Incluindo Eu e você. Amém.

Abençoada Quaresma e semana.

Pr José Daniel Steimetz