“Vice-Decorativo”

Já tem até comerciante vendendo o bonequinho do Michel Temer para enfeitar as árvores nesse Natal. Em sua carta à Presidente Dilma, o vice-presidente da República desabafa 11 motivos para explicar seu ressentimento e mágoa pelo fato de o governo não ter confiado o suficiente nele e no seu partido. E, logo no primeiro motivo, Temer diz que passou os quatro primeiros anos do governo como vice decorativo.

E se Jesus nos escrevesse uma carta de desabafo hoje? Qual seria o tom dessa carta? Quantos motivos ele listaria para demonstrar a nossa falta de confiança nele e desprezo por sua palavra? Será que ele nos diria que nós o buscamos apenas quando não tem mais jeito?

A palavra que Temer não escreveu em sua carta, mas deixou nas entrelinhas foi “rompimento”. Ele começou com a frase em latim: “Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem). Mesmo assim, não registrou a sua ruptura com o partido da presidente, isso ficou no âmbito da especulação dos jornalistas.

Quando nós especulamos sobre o que o nosso Salvador nos escreveria, mesmo tendo nós lhe desprezado e tratado como um vice decorativo das nossas vidas, ele vem a nós em sua palavra nos consolando assim: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. (Jo 14.1)

O antônimo de rompimento é o que vemos deitado na manjedoura. Deus vem a nós, geração desconfiada, não com um tom de desabafo, mas em humildade, ternura e amor. Cristo veio ao mundo para nos romper dos nossos pecados e nos reconectar com o Pai. Que o menino Jesus não seja apenas mais um “vice decorativo” nesse Natal.

Otto Neitzel