Por que não doar ao Criança Esperança?

Você leu este título e talvez pensou consigo: “Lá vem mais um daqueles textos que tenta explicar uma teoria de como o povo brasileiro está sendo lesado pelo governo e sua afiliada Rede Globo”. Ou, “Lá vem mais uma opinião de uma pessoa indignada com alguma coisa e que lá no final vai me pedir para compartilhar com meus amigos… etc”.

Na verdade, a resposta à pergunta do título é mais simples do que você imagina. Os que são contra essa campanha da Rede Globo tentam argumentar dizendo: “Você está pagando o imposto que é pra Globo pagar”; “Você nem sabe como realmente esse dinheiro é utilizado”; “E para onde vai o dinheiro dos ingressos vendidos para o show?”; “Falta transparência na distribuição dos recursos”; “Qual o critério para selecionar os locais de distribuição?” “Locais onde dá ibope?”…

Não tenho as respostas para estas perguntas. O que vejo por aí, no entanto, são artistas muito motivados e engajados em arrecadar fundos para ajudar as crianças do Brasil. O que vejo é o meu conterrâneo Didi Mocó, Renato Aragão, mostrando a todos como é fácil praticar a caridade e dar esperança às crianças do nosso país com um simples telefonema, ao custo de sete reais.

A resposta que eu disse ser simples é esta: Quando me perguntam por que eu não doo para o Criança Esperança, eu digo: “Porque eu sei de um lugar muito melhor para investir meu dinheiro. Porque eu sei que as crianças que são beneficiadas através da minha doação não vão receber apenas um sanduiche ou um workshop de hip-hop ou corte-costura. Isso também. Mas elas vão receber junto com isso o pão da vida e o ensinamento que dura para sempre”.

Maria escolheu a melhor parte, e a melhor parte era Cristo. Aí está a diferença que as nossas ofertas e doações fazem num mundo tão cheio de campanhas. Nós oferecemos ao mundo a melhor parte. Quando ajudamos financeiramente no trabalho da nossa igreja, quando ofertamos regularmente, estamos dando às crianças, aos jovens, adultos, órfãos, doentes e idosos não apenas o alimento para o corpo, mas também o pão da vida, que alimenta suas almas. E só isso é que lhes pode realmente dar “Esperança”.

Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede. (João 6.35)

Otto Neitzel

* Nós temos o privilégio de estar bem próximos da AELCA, mas clique aqui e veja quantas outras entidades estão vinculadas à nossa igreja e saiba como você pode ajudar.