DNA

beaded-cross-christmas-ornamentParticipei do Fórum de Teologia da ULBRA/2014. O tema foi: Onde está o teu irmão? O DNA dos que se afastam. DNA é a sigla em inglês para o ácido desoxirribonucleico, um aglomerado de moléculas que contém material genético que determina o funcionamento/desenvolvimento dos seres vivos. Nesse sentido discutiu as causas que levam as pessoas a se afastar da Igreja e da vida congregacional. Mas alguém chamou a atenção para a possibilidade dum outro título: “o DNA dos que…afastam”, levando-nos a olhar para a possibilidade de serem os “engajados” os que provocam o afastamento dos demais, apesar de congregarem. Este ponto merece analise.  Afinal, ninguém quer ser, mas qualquer um pode ser sim, a causa do afastamento do irmão.

Enquanto ouvia isso, veio-me à mente o relato daqueles que vem à Comunidade da Cruz. Eles ressaltam que ficam porque foram bem acolhidos. Que grande bênção e testemunho, que vai passando de irmão para irmão, de família para família, de pais para filhos. Que Deus permita mantermos nossa acolhida que manifesta o acolher de Deus repleto de amor, e por isso toca o coração de acolhedores e acolhidos.

Mas considerei também a temática do mês, a oferta, nessa perspectiva. E pensei em como a questão do DNA se encaixa nesse tema. Em como seria o DNA dos que não ofertam e fiquei preocupado. Mas me voltei para o DNA dos que ofertam. E muito foi ofertado por muitos nesse ano, para a Reforma do templo. Mas os números mostram uma falta de recursos para os demais custos/investimentos. Sim, existe custo/investimento na Igreja. Mas deixei de lado o viés negativo, e voltei-me ao positivo, para o DNA dos que ofertam. Espero assim estimular a autoanalise e a busca pela motivação para o ofertar.

Observei as características dos que ofertam generosa e regularmente. Na maioria são assíduos nos cultos. Sua fé é operada e mantida pela palavra e sacramentos. Palavra e sacramentos produzem gratidão a Deus, também em forma de oferta. Revelam compromisso com o passado, presente e futuro da comunidade. Reconhece a comunidade aonde congregam como bênção de Deus. Veem-na como fruto da oferta dos que o antecederam; Compreendem sua responsabilidade com a sua manutenção no presente. Para que no futuro outros tenham uma congregação também aconchegante e acolhedora.  Sua marca é a sua compreensão da sua oferta como parte de um todo. Só não oferta em real necessidade. Mas ai a situação já é outra.

Creio que essa seja uma analise possível do DNA dos que ofertam. São constituídos de fé na graça de Deus alcançada por Jesus Cristo. Fortalecem sua fé constantemente na palavra, Santa Ceia e na comunhão dos irmãos vivida na comunidade. E fazem da sua comunidade um lugar acolhedor aonde o amor de Deus é manifesto em palavras, ações e ofertas.

Abençoada semana e ofertar. Amém

Pr José Daniel Steimetz