Sendo vigiados

Dizem que o governo de Barack Obama está enfrentando uma das maiores crises políticas do seu mandato devido a um arrastão de espionagem que veio à tona. Num dia o seu governo foi pilhado monitorando diariamente todas as ligações telefônicas de milhões de americanos clientes de uma das maiores empresas de telecomunicações dos Estados Unidos. No outro dia o seu governo foi flagrado bisbilhotando os servidores centrais das maiores companhias de internet do País: Google, Facebook, Apple, Microsoft, Yahoo, AOL, You Tube, Paltalk e Skype.

A repercussão dessas espionagens foi grande porque está em jogo a privacidade das pessoas. O próprio presidente Obama teve que se defender dizendo que o governo encontrou o “equilíbrio certo entre a necessidade de combater o terrorismo e a de proteger a privacidade”.

Este fato faz lembrar o Big Brother de Orlson Wells, escrito em 1949, filmado em 1984, que apresentava o comportamento de uma sociedade vigiada 24 h por dia e manipulada por informações previamente filtradas. A ficção ia além do que essa espionagem escancarou.  Lá a espionagem não se contentava só com as conversas. Ela pretendia monitorar o pensamento das pessoas.

O pensamento ainda é o maior exercício de liberdade que desfrutamos. Ele perpassa pelos labirintos de nossos desejos, frustrações e anseios e, por vezes, é tão constrangedor que morreríamos de vergonha se os outros o lessem com precisão.  Quando ele se dirige para o mal maquina ódio, traição e morte. Quando ele se dirige para o bem pode construir reconciliação, perdão, amizade e alegria.

O Salmista escreve: “SENHOR, tu me sondas e me conheces… Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”(Sl 139). Deus conhece nossos maus e bons pensamentos, não para nos monitorar, mas para nos orientar. O pensamento guiado pela luz do Evangelho de Cristo que nos resgatou da escravidão do pecado não pode ser censurado por nenhum esquema de domínio, mesmo que nos custe muita dificuldade.  Ao orientar nossa vida com os princípios cristãos que partem do perdão de Cristo para uma vida de solidariedade, certamente as pessoas quererão saber o que pensamos sobre nossa fé e a igreja à qual pertencemos.

Edgar Lemke

P.S. O colega Gunter Pfluck editou a legenda  de um hino do nosso coral inspirado no Salmo 139
http://www.youtube.com/watch?v=10Rzj1Gf65I&feature=youtu.be

Share and Enjoy !

0Shares
0 0