Como resultado do primeiro Pentecostes os cristãos "continuavam firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações" (At 2.42). Que tal seguirmos seu exemplo?

Cultos Sábados às 18:30h

e Domingos às 10h

“Foi por mim”. João 19:30

quinta-feira, 13 de abril de 2017

“Foi por você!”. Essa é uma frase que está frequentemente ligada a alguma figura de Jesus Cristo na cruz. Especialmente no tempo de Semana Santa como estamos vivendo. E ela traz uma verdade imensurável. Ao repercuti-la e dizê-la para outras pessoas estamos dizendo que foi por ela que Jesus Cristo padeceu e morreu. Foi em favor dela, para pagar seus pecados, para livra-la da culpa, para tê-la de novo na plena comunhão com o Pai Celeste que Jesus se entregou ao mais vil sofrimento injustamente aplicado a uma pessoa inocente. Dizer isso, testemunhar isso, é muito importante. É fundamental. No cristianismo é a diferença fundamental quanto a salvação eterna. Esse “foi por você” é o mesmo que dizer-lhe: “Jesus te ama”. Então digamos estas palavras nesta Semana Santa e em todas as oportunidades.

Mas se podemos fazer uso delas para os outros, façamos uso também para nós. Afinal, foi por mim também que Jesus rumou até o Calvário, foi por mim que ele derramou o seu santo e precioso sangue. Fez isso para me purificar de todos os pecados, culpas e sentimentos que visam me afastar de Deus e do seu amor. Sim, foi por mim e por você que Ele disse suas últimas palavras: Tetelestai = Está Consumado João 19:30. Tudo e todo o necessário para que eu e você fôssemos salvos Jesus fez, lá na cruz. Tamanho o amor de Deus por nós. Somente um Deus que é amor poderia fazer e fez tamanho sacrifício por alguém. Ele fez isso por ninguém menos do que por mim e por você. Creia nisso. Viva isso e diga: “foi por você!”, foi por mim!”.

Mas Jesus fez mais. ♫ “domingo bem cedinho, Jesus resuscitou. E para seus amigos apareceu. Não está mais morto, mas resuscitou. Aleluia! Aleluia! Aleluia”♫

Abençoada Sexta-feira Santa.
Feliz Páscoa

Pr José Daniel Steimetz