Como resultado do primeiro Pentecostes os cristãos "continuavam firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações" (At 2.42). Que tal seguirmos seu exemplo?

Cultos

Sábados às 18:30h e Domingos às 10h

Traduzir esta página

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Está ficando cada vez mais fácil navegar pela internet. A globalização forçou grandes avanços na área da tecnologia da tradução. Com um simples click, eu consigo ter acesso a todo conteúdo de um site da Rússia na minha própria língua instantaneamente. O botão no canto da tela que diz “traduzir esta página” é genial.

Dizem que as línguas mais faladas hoje no mundo são: inglês, mandarim, espanhol e árabe. O ramo das Letras movimenta muito dinheiro no nosso mundo capitalista. Imagina o quanto não se gasta por ano em cursinhos de idiomas, dicionários, métodos, tradutores, interpretes sem falar no tempo para faculdades, mestrados e doutorados de pessoas cuja vocação é a de ajudar as pessoas se comunicarem e se compreenderem.

Se não fosse por aquela tragédia lá em Babel, nada disso seria necessário! Se o pecado de Babel não tivesse acontecido, quem sabe, hoje haveria apenas uma única língua, um só povo, uma só cultura e o botão “traduzir esta página” no navegador da internet não precisaria ter sido inventado.

Mas quando um pecado acontece, Deus sempre acha uma forma de perdoar. E o perdão para aquele pecado de Babel veio em forma de língua de fogo no dia de Pentecostes. Pessoas do mundo inteiro, de diferentes culturas, povos e línguas ouviram a mensagem mais importante das suas vidas e a compreenderam em seu próprio idioma: Jesus Cristo ressuscitou, e nós somos testemunhas disto (Atos 2.32)!

Aquela SEPARAÇÃO de Babel nem chegou aos pés da UNIÃO do dia de Pentecostes. Hoje falamos português, alemão, inglês, russo, libras… mas não importa a língua que nos separa, a nossa mensagem é e sempre será a mesma: Jesus Cristo ressuscitou, e nós somos testemunhas disto! No mais, o Espírito Santo se encarrega de unir os nossos corações.

Otto Neitzel