Espírito Voluntário

O Salmo 51.12 diz “Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.”, ou seja, com o Espírito Santo, que faz com que as pessoas sirvam a Deus de livre e espontânea vontade, e não por medo do castigo ou motivadas por amor falso.  Pois todos os que servem movidos pelo medo, fazem-no apenas enquanto persistir o medo. Sim, são forçados a servir e servem contra sua vontade, de sorte que, se não houvesse inferno ou castigo, eles não o fariam.

São igualmente inconstantes aqueles que servem movidos por amor aos dons e à recompensa de Deus, pois caso nada soubessem a respeito de recompensa, ou quando Deus deixa de dar seus dons, eles também param de amar a Deus.             

Todos estes não têm alegria na salvação de Deus, nem coração puro, nem espírito reto, mas amam a si mesmos mais do que a Deus.             

Agora, aqueles que servem a Deus de boa vontade ficam firmes neste serviço, quer tudo corra bem ou não, quer seja a vida doce, quer amarga.  Isto porque Deus lhes deu firmeza e constância através da dádiva de uma boa vontade nobre, espontânea, principesca, livre.  Porque na língua hebraica a palavrinha “espírito voluntário”, que aparece no texto, também significa favorável, livre.              

Tudo que é mantido pela força não vai longe, mas o que é mantido de livre vontade, isso permanece (Bíblia com reflexões de Lutero, p.521).

Martinho Lutero