Assembleia e Chamado – Perguntas Frequentes

A diretoria da Comunidade tem recebido diversas perguntas com dúvidas dos membros sobre o processo de Chamado pastoral e sobre a Assembleia Geral Extraordinária do próximo domingo.

Pensando em dividir com todos estes esclarecimentos, foi montada uma “FAQ” (respostas a perguntas frequentes), que segue baixo.

Esperamos que este material ajude e promova a participação de todos neste assunto tão importante.

Até domingo, dia 29/08, na Assembleia!


1) O que é um chamado?

É o procedimento pelo qual uma congregação chama um pastor para ser seu pastor, tanto para suceder algum pastor que esteja saindo como para se somar aos pastores existentes.

2) Por que a CELC está fazendo um chamado?

O trabalho na CELC é grande, com frequência exigindo a presença de estagiários. Além disso o P. Edgar manifestou interesse de que se começasse um processo para achar um sucessor do seu trabalho.

3) A IELB prevê diferenciação entre os pastores quando uma congregação possui mais de um?

Sim. O Regimento da IELB, no seu artigo 117 parágrafo 1o. diz o seguinte: “Em congregações e paróquias onde atuam mais de um pastor, estas se organizarão escolhendo um deles como pastor coordenador e os demais como pastores assistentes.

A CELC, na configuração atual, possui: o P. Edgar como Pastor Coordenador, o P. José Daniel como Pastor Assistente (com atuação dirigida à Capelania da AELCA, ponto de missão Jesus é a Aliança na Vila Jardim e CEL Da Paz no Morro da Cruz) e o Pastor Otto, também como Pastor Assistente (atuando de maneira não remunerada e mais eventual).

4) O Pastor chamado irá de imediato suceder o P. Edgar?

Não. A ideia é que o P. Edgar continue por algum tempo como Pastor Coordenador, e o novo pastor como Pastor Assistente. De forma bem gradual, o P. Edgar começará a reduzir suas atividades, e o novo pastor, conhecendo o trabalho, assumirá mais responsabilidade até tornar-se Pastor Coordenador da CELC.

5) Quanto tempo durará esse período de transição?

Não há período estabelecido para isso. No chamado será manifestado que o novo pastor virá com  a perspectiva de se tornar o Pastor Coordenador num espaço não muito longo de tempo.

6) Vai haver um desligamento completo do P. Edgar da congregação?

A princípio não. A intenção é que ele continue como pastor aposentado da CEL Da Cruz, porém assumindo algumas eventuais atividades como: pregação, visitação, atendimento às creches ALAN e Maria Tereza, devoções e etc. Isso tudo ainda será discutido com o novo pastor e com o pastor Edgar, e este último, terá total liberdade em definir  suas preferências a partir do momento da chegada do novo pastor.

7) A assembleia será presencial ou online?

Esta assembleia do dia 29/08 será unicamente presencial.

8) É possível votar por procuração?

Não. Nosso Regimento, em seu artigo 9o. diz o seguinte: “O voto é um direito e uma obrigação intransferível, sendo, portanto, vedada a outorgação de poderes.”

9) Quem tem direito a voto?

Segundo o nosso Regimento são membros votantes os membros com 16 anos ou mais.

10) A votação será por voto aberto ou fechado?

A votação será por voto fechado (secreto). Traga a sua caneta. O Conselho Fiscal da CELC foi convidado para efetuar a apuração dos votos.

11) Como foi formada a lista com os seis nomes?

A partir das indicações recebidas da congregação e mais as indicações recebidas da IELB, formou-se uma grande lista. Esta lista foi estudada pela diretoria. Alguns nomes estavam com processo de chamado para outros lugares em estágio avançado e por isso foram descartados. Outros nomes estavam há pouco tempo numa congregação (menos de dois anos) e um novo chamado nesses casos também não é recomendado. Outros nomes a diretoria entendeu que tinham perfil muito diferente da congregação. E assim por diante.

12) Só estes seis nomes podem ser chamados?

Não. Essa é meramente uma sugestão da diretoria. A assembleia é soberana para indicar outros nomes a se somarem a essa lista.

13) É garantido que qualquer um desses seis nomes irá aceitar, caso seja chamado?

Não. A Diretoria contatou todos os seis, e questionou se ele autorizavam a manutenção dos seus nomes no processo. Essa sondagem prévia é uma prática comum na IELB, e visa também eliminar aqueles que de antemão não aceitariam o chamado. Todos os seis autorizaram a permanência dos seus nomes no processo, mas só avaliarão o chamado se ele realmente o receberem.

14) Haverá uma única votação na assembleia?

Não. A ideia é que se faça uma primeira votação para reduzir de seis para quatro nomes (caso sejam só os seis iniciais). Uma segunda votação para reduzir de quatro para dois nomes. E uma terceira votação para escolher o nome para o qual vai ser enviado o chamado.

15) É possível votar por e-mail?

Esta assembleia do dia 29/08 será unicamente presencial. A votação por email compromete a votação secreta, pois torna aberto quem está enviado o voto. Provavelmente o processo envolverá várias votações o que dificultaria a votação por email. Para esta dinâmica precisaríamos mais estudos de viabilidade. 

16) Nosso Estatuto diz mais alguma coisa sobre a votação?

Sim. Nosso Estatuto, no seu artigo 10o., diz o seguinte: “As resoluções relativas à escolha de pastor e de seus assistentes no ministério, exigem dois terços dos votos favoráveis.

Esse artigo tem algumas implicações. Se na última votação um nome receber 55% dos votos e outro 45%, esse placar não é suficiente para encerrar a votação.

O intuito desse artigo aparentemente é o de forçar a congregação a debater mais sobre o assunto e procurar chegar-se a um quase consenso. Se a assembleia do dia 29/08 não chegar nos dois terços, a ideia é encerrá-la, para que não fique cansativa, e marcar uma nova assembleia, permitindo à congregação amadurecer a questão nesse meio tempo.

17) O pastor chamado tem a obrigação de aceitar?

Não.

18) O pastor chamado tem prazo para responder ao chamado?

Sim, ele tem 30 dias para responder. Nesse meio tempo ele pode contatar e até visitar a congregação para conhecer mais.

19) E se o pastor que receber o chamado não aceitar?

A ideia é fazer uma nova assembleia, em data a ser escolhida. Sugere-se esta forma para permitir que todos (inclusive os que votaram no pastor que não aceitou), possam escolher o próximo nome.

20) O pastor será chamado para um tempo determinado? Haverá período de avaliação?

O trabalho do novo Pastor será desde o início definitivo, e por tempo indeterminado – isto é, não haverá período de experiência e não haverá prazo de encerramento.

Será definitivo porque não se vê a necessidade de “testar” o Pastor por um período inicial. O Pastor não é um empregado comum – ele é o líder espiritual e responsável pelo ministério para onde converge todo o trabalho que dá sentido à própria existência da Congregação. Por isso, ele deve ter toda a liberdade de agir, se manifestar e pregar para pôr em prática essa responsabilidade. Em particular, no chamado já será manifestado que o novo Pastor virá com a perspectiva de se tornar o Pastor Coordenador dos nossos Pastores num curto espaço de tempo. 

De outra parte, o cargo do Pastor não é vitalício nem estável, no sentido das nossas práticas trabalhistas. Ele pode ser destituído a qualquer momento por decisão da Congregação, conforme previsto em seu Estatuto, caso esta assim entenda ser o melhor a ser feito para o bem do pastor e da congregação.

Finalmente, o próprio Estatuto da IELB (Igreja Evangélica Luterana do Brasil), à qual somos filiados, prevê no seu artigo  87, parágrafo 1º, que “o chamado, expedido pela congregação, será por tempo indeterminado e, em casos especiais, por tempo determinado“. Não entendemos que há no atual processo de chamado qualquer coisa  que configure um “caso especial” – portanto, também por isso o chamado será por tempo indeterminado.

21) E se o pastor que eu votei não for o escolhido pela congregação?

Este é um pensamento muito comum. Mas nosso foco deve ser orar pedindo que Deus ilumine os membros votantes e pedindo que o pastor que vier faça seu trabalho para a glória de Deus. Como citado em Coríntios, não queremos a mensagem de Paulo nem a mensagem de Apolo. Queremos a mensagem de Cristo. Independente de quem estiver no púlpito. Que Deus nos abençoe!

22) O Distrito (DIPA – Distrito Porto-Alegrense) e a IELB estão cientes e de acordo com o nosso processo de chamado?

Sim. A diretoria conversou tanto com o Conselheiro Distrital (P. Irmo Wagner), como com a direção nacional da IELB (P. Geraldo Schüller) a respeito do processo, sendo validado por ambos. Inclusive o Pastor Conselheiro Distrital é que oficiará a solenidade de instalação do novo pastor.

23) É possível enviar chamado para um estudante de Teologia?

Sim, porém há alguns detalhes.
Normalmente a primeira congregação da vida de um Pastor é designada pela IELB no momento de sua formatura no Seminário.
O procedimento, neste caso, é enviar o chamado para a IELB e para o Seminário, solicitando que o formando em questão seja designado para congregação interessada. O pedido é então avaliado, primeiro pela IELB e Seminário, e depois pelo formando.
Estando tudo ok, o estudante poderá assumir como pastor da congregação após sua formatura no seminário.