Balneabilidade

“Em 2015 estamos registrando uma média de um afogamento por dia”, diz capitão do Corpo de Bombeiros. Segundo ele, as maiores causas são: falta de conhecimento dos locais por parte dos banhistas, falta de salva-vidas por perto e desrespeito à sinalização de balneabilidade.

Quando Jesus se deixou ser batizado por João Batista, ele entrou na água para nos resgatar. Já estávamos espiritualmente mortos, sem chances de sobreviver. Mesmos assim, no seu próprio batismo, Jesus carregava os nossos pecados. Ali, ele nos deu nova vida e fez o céu se abrir para nós. Do céu vem uma voz que nos diz ainda hoje: Tu és o meu Filho querido e me dás muita alegria. (Marcos 1.11)

É bom conhecermos os locais por onde andamos e nadamos. É sábio obedecer à sinalização da Palavra de Deus e nos apegarmos fielmente ao nosso batismo. Sendo assim, com o nosso verdadeiro salva-vidas por perto, através da sua Palavra, seu Espírito, sua Igreja e Sacramentos, saberemos como está a “balneabilidade” deste nosso mundo.

Otto Neitzel

Romanos 6.3-6

Quando fomos batizados para ficarmos unidos com Cristo Jesus, fomos batizados para ficarmos unidos também com a sua morte. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele.