Fragilidade Humana

Eu afirmo a vocês que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito…. Jo 3.5 e 9.

É interessante ver como os exemplos bíblicos nos mostram a fragilidade humana frente as pressões sociais do passado. Assim a Palavra nos alerta para o fato de que nós também somos frágeis e estarmos expostos às mesmas pressões.

Não somos Moisés, Arão, Davi ou Nicodemos do Novo testamento. Nem adianta sermos expoentes na Igreja humana visível. É preciso nascer de novo e perseverar até o fim para ser salvo. No batismo temos um novo nascimento. Pela Palavra Deus nos lembra desse ato de amor divino em nossa vida. Por meio dele voltamos constantemente aos braços amorosos do Pai. Isso nos dá forças para não cedermos a pressões sociais de hoje.  Novo nascimento é resposta amorosa de Jesus a Nicodemos é também para todos nós que também fomos batizados. Ela nos fortalece diante de tudo que quer nos afastar de Cristo.

Vivemos entre muitos que muitos não querem ver Jesus, muito menos crucificado. Até o crucifixo já não pode aparecer em alguns ambientes no RS a pedido e por pressão daqueles que não nasceram de novo; Sê, um dia nasceram, deixaram de guardar no coração o significado deste novo nascimento. E voltaram a ser mortos espirituais, como fala Paulo aos Efésios(2.1). Que tal não suceda conosco!

Mas na Igreja Cristã o Cristo crucificado continua visível. Ele é pregado, crido e proclamado como o único e suficiente Salvador e fundamento da Igreja. Por isso as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Nem contra aqueles que a ela pertencem.

Assim torna-se necessário Jesus ser crido e ouvido pelos que frequentam a Igreja. Ele deseja também ser seguido pelos que o buscam e encontram na Igreja. Ele deseja estar em cada coração, a fim de que mais ninguém se perca. Pois muitos estão endurecendo seu coração para Jesus. Crianças, jovens, adultos e famílias estão se perdendo… Seguem a passos largos o caminho largo da perdição. E a nós Satanás procura devorar-nos com a dúvida e com exércitos de não cristãos que crescem e questionam a nossa fé e vida. Tenhamos presente que apenas os cristãos podem cair da fé…  os demais não tem fé, pelo menos não fé fundamentada em Cristo. Logo, não tem nada a perder. Já perderam tudo.

A bíblia com seus personagens escancara a fragilidade de quem serve a Deus, portanto a minha e tua fragilidade. Estejamos fundamentados para não cairmos da fé como aconteceu com Moisés e Arão, que  pressionados pela descrença e murmuração do povo, se esqueceram de como Deus os libertara do Egito. O mesmo se dá com Nicodemos que mesmo versado nas Escrituras, se deixou iludir, e viu-se fragilizado diante da simplicidade do plano de Deus de nos fazer seus filhos, através da Cruz do seu Filho. Esses exemplos nos lembram do conselho bíblico: quem está de pé, cuide para que não caia.

Estamos na Quaresma. Tempo de reflexão quanto ao que fundamenta nossa fé. Ela nos apresenta Cristo. Ele é a Rocha que o Pai Celeste colocou como alicerce de amor, para que todo o que nele crê tenha a CERTEZA da vida eterna. Sempre teremos diante de nós dúvidas próprias, de outros que a colocam em descrédito porque não conhecem a Deus e o seu amor. Bem fundamentados no amor de Deus, anunciamos que nosso Deus, em Cristo crucificado, o verdadeiro Deus e a vida eterna, amou o mundo inteiro e conquistou na cruz a Salvação para todos nós. Esse é o fundamento da nossa fé. E o antídoto contra nossa fragilidade. Amém.

Abençoada Quaresma!

Pr José Daniel Steimetz