“Boas Festas” ou “Feliz Natal”?

Diz que, certa vez, no Canadá, os imigrantes islâmicos protestaram contra a exibição pública de faixas natalinas com os dizeres “Merry Christmas” (Feliz Natal), alegando que essa referência a Cristo os ofendia. Sem problemas, a frase natalina foi alterada para “Seasons Greetings” (saudações da estação), uma expressão tão tola que poderia ser empregada o ano inteiro. Afinal de contas, sempre vai haver uma estação acontecendo, certo?

Tudo bem que a frase Feliz Natal vem perdendo o espaço para Boas Festa, e isso nem pela pressão islâmica, mas pela própria pressão Ocidental. O pessoal, ultimamente, anda mais preocupado com a promoção do Chester e a receita da farofa natalina da Ana Maria Braga do que qualquer outra coisa. O versículo 11 do capítulo 1 de João nunca esteve tão atual: Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu. João 1.11

Esses dias eu ouvi a seguinte frase na abertura de um programa de natal de uma escola: “Estamos aqui para celebrar o Natal: a alegria da chegada de um menino. Esse menino traz a felicidade e todos devem encontrar esse menino, onde quer que for. Ele pode estar dentro de nós, ou no sorriso de uma criança ou no desabrochar de uma flor… Boas Festas!

Que bela oportunidade perdida, não é? Deu tanta dica, menos a certa.

Nessa época de Natal, creio eu que muitas oportunidades se abrem para testemunharmos da chegada do Salvador. Tem muita troca de mensagens, presentes, memes, palavras, cartões. Será que essas mensagens vão com a luz que ilumina o mundo ou com uma luz que quer ofusca-la?

Eu só digo uma coisa, a nossa cultura, o diabo, o mundo e nossa própria carne, essa grande ilusão consumista natalina vão continuar tentando apagar essa luz. Mas enquanto a Palavra, Jesus Cristo, estiver sendo pregada de forma correta e pura, o versículo 5 de João vai continuar ecoando por muitos e muitos natais!

João 1.5 – A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.

Otto Neitzel