Enjoados de Deus?

9 de março de 2018 by edgar-lemke

É possível alguém ficar enjoado de Deus? Pois esta é a queixa do Senhor em relação ao seu povo no tempo do profeta Isaías: “vocês se enjoaram de mim e pararam de me adorar” (Isaías 43.22).

O povo escolhido para dar louvores ao seu nome (Isaías 43.21) parou de adorar porque perdeu o entusiasmo, o fervor e a alegria de servir a Deus. Nem mesmo na hora da angústia o povo teve coragem para pedir ajuda divina. Era de se esperar que, pelo menos na tribulação, Israel clamasse ao Senhor, mas isso não aconteceu.

Você, alguma vez, sentiu algo semelhante? A pessoa vai se ausentando dos cultos, não dá atenção à Palavra, esfria na oração e, sem perceber, fica enjoada de Deus! Distante da Palavra torna-se insensível, não reconhece as dádivas divinas e no lugar de adorar a Deus o cansa com os seus pecados (Isaías 43.24).

É inacreditável a iniciativa de Deus para o retorno do filho perdido! Ele oferece perdão incondicional através de seu Filho Jesus pregado na cruz: “Mas eu – eu mesmo – sou o seu Deus e por isso perdoo os seus pecados e os esqueço” (Isaías 43.25). Por isso o ponto principal do Evangelho é acolher e reconhecer Cristo como dádiva e presente que nos foi dado pessoalmente por Deus.

Enjoado de Deus? De jeito nenhum! O tempo da Quaresma nos oportuniza refletir sobre o sofrimento, a morte e a vitória de Jesus. Acompanhar a caminhada de Jesus até a cruz em nosso favor, revigora a nossa fé e nos leva a lutar contra o pecado. Ali Deus – ele mesmo – morreu por nós para nos trazer salvação (Romanos 5.8).

Edgar Lemke

Comments are closed.