Mais leves do que um sopro

18 de janeiro de 2018 by edgar-lemke

Vai ser muito barulhenta a semana em Porto Alegre por conta do julgamento do ex-presidente Lula em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4).

O PT e os movimentos sociais estão aproveitando o momento para fazer desse julgamento um palanque para a campanha eleitoral que pretende reconduzir Lula à presidência do País mais uma vez, independente do resultado do julgamento. A estratégia de comunicação quer aproveitar as redes sociais e incluir entrevistas coletivas e individuais para veículos nacionais e estrangeiros.

Não fazem coisa diferente as oposições em relação ao julgamento do ex-presidente Lula. Colocaram outdoor, usam as redes sociais e apontam os crimes dos quais o Ex-Presidente já foi condenado na 1ª Instância. Bota barulho nisso!

Por causa desse clima acirrado o Salmo 62 me soou muito oportuno. Foi escrito por um político poderoso que fez o melhor governo, mas caiu na desgraça por cometer os piores erros. Quando se deu de conta desses erros (adultério, formação de quadrilha, homicídio, ocultação de cadáver, etc.) caiu em si e escreveu: “Os seres humanos, tanto os pobres como os ricos, são inúteis, são somente um sopro. Se fossem colocados na balança, não pesariam nada; são mais leves do que um sopro”. Então ele fez essa confissão de fé: “Somente em Deus eu encontro paz; é dele que vem a minha salvação”. Aí ele fez um apelo aos seus eleitores: “Confie sempre em Deus, meu povo! Abram o coração para Deus, pois ele é o nosso refúgio”.

Então, vale à pena cair nessa gritaria? Não podemos deixar o TRF4 julgar o ex-presidente Lula com base nas provas ou na falta de explicação da defesa a respeito das origens de sua fortuna? De acordo com o salmista, Lula vale tanto quanto cada um de nós: “mais leves do que um sopro”.

Edgar Lemke

Comments are closed.