Amor de Pai

11 de agosto de 2017 by edgar-lemke

Jesus, numa conversa com os seus discípulos, afirmou: “Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quando mais o Pai de vocês, que está nos céus, dará coisas boas aos que lhe pedirem!” (Mt 7.11).
Quais são as coisas boas que damos aos filhos?

Dá para fazer uma lista das coisas boas que os pais proporcionam aos seus filhos, encabeçada pela oportunidade de estudo. Nessa longa caminhada os pais querem proporcionar o melhor que podem para os filhos seguir carreira e se dar bem na vida. Investem seus recursos na melhor escola que está ao seu alcance e oferecem cursinhos para reforçar seu aprendizado. Se os filhos desanimam e não querem mais ir à escola, os pais os obrigam e, quando os filhos são crescidos, os pais se munem dos melhores argumentos para animá-los a dar continuidade nos seus estudos.

Aí vem a comparação de Jesus: “Quanto mais o Pai de vocês, que está nos céus, dará coisas boas aos que lhe pedirem!” Qual foi a atitude do Pai Celeste quando seus filhos negaram seu nome, estragaram sua criação e trouxeram o pecado e a morte? Seu amor de pai bolou um esquema tão espetacular que transferiu todas as nossas culpas nas costas de seu Filho amado e, como juiz, condenou-o em nosso lugar, livrando-nos das consequências eternas dos nossos erros.

Esse amor do Pai celeste nos lança um desafio interessante. Como sabemos dar coisas boas aos filhos quando se tratam de coisas terrenas podemos ter o mesmo empenho quando se trata do seu crescimento espiritual. No Catecismo Maior, Lutero conclui: “Se a palavra e a vontade de Deus estiverem em vigor e forem cumpridas, nenhuma vontade, nem palavra deverão valer mais que a dos pais, contanto que seja mantida a obediência para com Deus”.

Portanto, nós, pais, devemos estar com um pé no céu, pela fé em Jesus, e outro pé na terra para acompanhar os filhos nos caminhos da vida rumo ao céu. O Pai celeste está com o coração aberto para atender nossas orações nessa caminhada. Abençoado dia dos pais!

Edgar Lemke

Comments are closed.