Dia do Fogo

30 de agosto de 2019 by edgar-lemke

Termina o mês de agosto e o que mais eu ouvi foi a respeito de fogo, fumaça, queimadas, aquecimento global. Ainda está se debatendo se houve, de fato, um movimento orquestrado por fazendeiros, ongs e grileiros para, no dia 10 de agosto apelidado como o “Dia do Fogo”, atearem fogo às margens da BR 163 entre Belém e Altamira, com o propósito de enfumaçar seus interesses.

Como se não bastasse isso sobre fogo li no Antigo Testamento que o profeta Elias mandou vir fogo do céu duas vezes (2 Rs 1.10) para consumir o capitão e seus cinquenta comandados que o rei Acazias enviara para lhe fazer uma consulta. “Se eu sou um homem de Deus, que venha fogo do céu e mate você e os seus soldados!” disse Elias para seus visitantes indesejados. Talvez tenha sido por conhecer esse episódio que os irmãos Tiago e João queriam pedir fogo do céu para consumir os moradores de Samaria que rejeitaram Jesus (Lc 9.54).

Aí vem onde eu queria chegar. Certo dia Jesus disse assim: “Eu vim para pôr fogo na terra e como eu gostaria que ele já estivesse aceso!” (Lc 9.49). Ainda bem que, no retiro que a Comunidade da Cruz fez nos dias 17 e 18, o colega Otto refletiu sobre estas palavras de Jesus e nos explicou que esse fogo que Jesus veio pôr na terra é diferente do fogo lançado na floresta Amazônica e mais diferente ainda do que o fogo que Elias pediu e os discípulos Tiago e João queriam pedir. É o fogo que o Espírito Santo, através da Palavra e dos Sacramentos, coloca nos nossos corações para reconhecermos nossos erros, confiarmos no perdão que Jesus nos conquistou e nos dar nova vida – vida de fé, salvação, alegria, entusiasmo e esperança. Pra esse tipo de incêndio todo dia deve ser “Dia do Fogo”.

Edgar Lemke

Comments are closed.