FÉ E RAZÃO

11 de outubro de 2019 by webmaster

Durante mais de 1.500 anos, a religião cristã teve grande influência na sociedade, todos os debates giravam em torno da fé, ela era a protagonista. Com o surgimento e avanço da ciência, o cenário mudou, quem assumiu o protagonismo foi a razão. Com isso, entrou-se numa disputa que perdura até os dias de hoje, o debate polêmico em torno da temática fé e razão.

Nos últimos anos, quem acentuou essa discussão foi o biólogo evolucionista Richard Dawkins. Dawkins é ateu declarado e grande crítico da religião. Para ele, quanto mais inteligente, racional e cientificamente orientado alguém for, menos capaz será de crer em Deus. Como era de se esperar, Dawkins vem sendo duramente criticado por teólogos. O curioso é que até mesmo cientistas ateus renomados criticam e contestam Dawkins, alegando que a ciência não é capaz de explicar tudo e que o pensamento científico pode ser compatível com crença religiosa. Ora, Dawkins é um típico ateu militante, seu objetivo é muito mais atacar a religião do que provar algo, por isso seus argumentos acabam sendo rasos e falhos.

Mas afinal, é possível conciliar fé e razão? Sim. A razão é um dos muitos dons que o próprio Deus dá aos seres humanos. Enquanto escrevia esta reflexão, por exemplo, utilizava-me da razão. Você, ao ler este texto, está fazendo uso da sua. A fé, por sua vez, é o dom maior de Deus, uma dádiva que recebemos no batismo, ou quando ouvimos a Palavra de Deus e passamos a crer em Jesus Cristo, tudo isto é efetuado por meio da ação do Espírito Santo.

Mas qual das duas é superior? Essa é outra questão polêmica, filósofos e cientista ateus dirão que a razão é superior, teólogos dirão que é a fé. Vejamos o que diz a palavra de Deus: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se veem”. (Hb 11.1). Estas palavras mostram que a fé nos dá a certeza de que existem coisas que estão além da razão, ou seja, a razão tem um limite, mas a fé vai além. Com base nisso, o filósofo Søren Kierkegaard afirmou que o cristão é o maior cientista de todos. Logo, a fé é superior.

Obviamente, tal afirmação é considerada loucura entre cientistas ateus. Convém, todavia, lembrar o que nos diz a Palavra de Deus: “Então, o que poderão dizer os sábios e os instruídos? O que vão dizer os grandes oradores deste mundo? Deus tem mostrado que a sabedoria deste mundo é loucura. Pois Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles. Pelo contrário, resolveu salvar aqueles que creem e fez isso por meio da mensagem que anunciamos, a qual é chamada de louca”. (1 Co 1.20,21).

Portanto, fé e razão são conciliáveis sim. A fé, porém, é superior à razão, ela é operada pela ação do Espírito Santo no coração dos crentes, é fruto da revelação de Deus através de sua Palavra – Jesus Cristo. A razão, por sua vez, é um dom de Deus, ela pode ser estimulada e desenvolvida mediante estudo e esforço pessoal, porém, ela tem um limite, por isso, seu uso deve ser instrumental – iremos até onde a razão nos permite, depois disso, entra em campo a fé. Que Deus nos mantenha firmes na fé e nos ajude a fazer um bom uso da razão. Amém.

Teologando Miguel Bergmann

Comments are closed.